5 museus para se conectar com as suas origens em São Paulo

Cultura

Em maio é comemorado o Dia Internacional dos Museus

O Dia Internacional dos Museus é realizado anualmente no dia 18 de maio, iniciativa do Conselho Internacional de Museus (Icom). Desde 1977, o papel da data é conscientizar sobre a importância dos museus para o desenvolvimento da sociedade. 

A cidade de São Paulo é repleta de museus para todos os gostos e bolsos. São tantas opções que é até difícil conhecer tudo que a cidade oferece. 

A cultura e o povo de São Paulo são extremamente diversos, reflexo do nosso passado que conta com diversos povos em nossas origens. Como no restante do país, os primeiros e principais grupos que chegaram foram portugueses, espanhóis, italianos, alemães, turcos, libaneses e japoneses, que enriqueceram nossa cultura em diversas áreas. Uma parte importante da ancestralidade do paulistano também é negra, resultado da chegada dos africanos escravos – sendo a escravidão, o capítulo mais infeliz da nossa história.

Muitos costumes e tradições desses povos moldaram o DNA paulistano e até hoje fazem parte do nosso cotidiano. Se você tem interesse em descobrir quais povos estão presentes no seu DNA, o meuDNA Origens é o teste de ancestralidade para as pessoas saberem mais de onde vieram. Ele identifica marcadores genéticos do DNA de cada pessoa e compara-os com os marcadores característicos de diferentes povos. O teste conta com uma base de dados de 88 populações do mundo e identifica ancestralidades que podem ter origem de até oito gerações anteriores, o equivalente aos bisavós dos tataravós.

Nos resultados do teste são disponibilizados relatórios personalizados que contam mais detalhes sobre os povos e a história da chegada deles ao Brasil. 

Após descobrir tudo isso, você provavelmente vai sentir vontade de se conectar ainda mais com os seus antepassados, por isso, listamos 5 museus para você conhecer detalhadamente as histórias dos imigrantes sem sair de São Paulo. 

  • Museu da Imigração

Localizado na Mooca, o Museu da Imigração do Estado de São Paulo é uma instituição pública vinculada à Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, fundada em 1993. O museu preserva a memória das pessoas que chegaram ao Brasil pela Hospedaria de Imigrantes e o relacionamento construído ao longo dos anos, além de valorizar o encontro das diversas histórias e origens, propondo reflexões sobre as condições de viagem, adaptação em um novo país e contribuição para a formação da identidade paulista.

  • Museu Afro

Desde 2004, o Museu Afro Brasil é um museu histórico, artístico e etnológico, focado em pesquisa, conservação e exposição de objetos relacionados ao universo cultural do negro no Brasil. Com mais de 6 mil obras, o acervo está localizado dentro do Parque Ibirapuera e engloba diversas facetas dos universos culturais africanos e afro-brasileiros, abordando temas como religião, trabalho, arte, escravidão, entre outros temas que nos remetem à trajetória histórica e influências africanas na sociedade brasileira. 

  • Museu Judaico de São Paulo

O Museu Judaico de São Paulo é o primeiro museu sobre história judaica da cidade, inaugurado em 2021. O edifício em que está localizado o museu, na Bela Vista, é a antiga Sinagoga Beth-El, projetada e construída por Samuel Roder entre 1927 e 1932. O museu cultiva as expressões, histórias, memórias, tradições e valores da cultura judaica relacionados ao contexto brasileiro. 

  • Museu Histórico da Imigração Japonesa

Inaugurado em 1978, o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil fica no bairro da Liberdade e foi idealizado pelos imigrantes pioneiros preocupados em preservar e transmitir sua história às gerações seguintes. Tem um acervo de mais de 97 mil itens pertencentes aos imigrantes japoneses, como documentos, fotos, jornais, filmes, livros, revistas, utensílios, roupas, entre outros.

  • Museu Xingu

O Museu Xingu é uma exposição permanente de artefatos indígenas que pertencia aos Irmãos Villas-Bôas, que integraram a Expedição Roncador-Xingu e documentaram a presença histórica das nações indígenas do Brasil. Criado em 2012, o museu é abrigado pela Casa Amarela, no Jardim Paulista. Ele reúne objetos realizados com pena, argila, madeira e fibra. 

Sobre o meuDNA Origens

O meuDNA Origens é o único teste focado no público brasileiro e que analisa até 8 gerações anteriores, o que representa os bisavós dos tataravós. O teste identifica as variações genéticas espalhadas pelo DNA de cada pessoa, e compara com as variações características de diferentes povos e catalogadas em um extenso banco de dados. São consideradas 88 populações ao redor do mundo. Os resultados, que podem levar até seis semanas para saírem, também vêm acompanhados de informações sobre a história e cultura de cada povo.

Please follow and like us:
0
20
Pin Share20

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *